Listas

10 Indies para descobrir em Janeiro

Bury me, my Love https://www.youtube.com/watch?v=8zWnWqUsods 10 de Janeiro - PC, Nintendo Switch, iOS e Android The Pixel Hunt e Figs, trazem uma narrativa interactiva inspirada em eventos reais onde lidam com temas de amor, esperança e migração Vane https://www.youtube.com/watch?v=aqe5BsPHW6s 15 de Janeiro - PS4 (mais tarde no PC) Vibrante, misterioso e desolado, Vane é um… Continue reading 10 Indies para descobrir em Janeiro

Listas

15 Indies a ter atenção em Dezembro

https://www.youtube.com/watch?v=tMGT09yDS8o Gris 13 de Dezembro - PC e Nintendo Switch Gris, jogo de estreia do novo estúdio espanhol, Nomada, é uma história emocional com uma banda sonora de Berlinist e uma arte cativante. https://www.youtube.com/watch?v=SiHRdHGWHf0 Desert Child 11 de Dezembro - PC, Playstation 4, Xbox One, Nintendo Switch Inspirado em animações de culto como Cowboy Bebop,… Continue reading 15 Indies a ter atenção em Dezembro

Análises

Análise: “Moonlighter”

Rynoka, uma pequena aldeia comercial, é o ponto de encontro de heróis e mercadores devido a 4 portas misteriosas encontradas durante uma escavação arqueológica mesmo na vizinhança da aldeia. Estas portas misteriosas são ligações a dimensões diferentes, cheias de monstros perigosos e artefactos preciosos. Enquanto os heróis são livres de explorar estas dungeons, os mercadores… Continue reading Análise: “Moonlighter”

Análises

Análise: Achtung! Cthulhu Tactics

"The Call of Cthulhu", por H.P. Lovecraft, é uma das obras mais influentes de sempre no género de terror, contando a investigação sobre seres míticos e desconhecidos vindos à Terra. Achtung! Cthulhu Tactics, é um jogo desenvolvido pela Auroch Digital inspirado no conto de Lovecraft e lançado na Steam por 24,99€. O jogo estará mais… Continue reading Análise: Achtung! Cthulhu Tactics

Análises

Análise: Dead Cells

A primeira lição que aprendi quando joguei Dark Souls foi "não subestimes os inimigos mais fracos" e levo-a comigo para qualquer jogo. Quando chego ao quarto nível, acompanhado da melhor build do mundo (pelo menos é na mentalidade de alguém que demorou dez horas a chegar ao Throne Room), sem poções e já só com 1 HP, do canto do… Continue reading Análise: Dead Cells