Os nossos jogos favoritos em 2018

Após um 2017 lendário para a indústria, com jogos como o Breath of the Wild, Horizon Zero Dawn, Sonic Mania, Super Mario Odyssey, Divinity: Original Sin e imensos mais a construir o que se tornou um dos melhores de sempre em jogos, 2018 aparentava ser um ano mais leve em lançamentos, e muito menos concorrido. A verdade é que 2018 pode não ter chegado ao nível do ano anterior, mas deixou-nos com várias pérolas que iremos relembrar e rejogar durante os próximos anos, com um sorriso na cara.

A equipa do Fun Factor quis partilhar convosco o que, na sua opinião, foram os melhores jogos de 2018:

Dead Cells

Gonçalo Nolasco: Não tinha grandes expectativas de Dead Cells porque todo o processo até ao lançamento passou-me ao lado em antecipação a outros jogos. Porém, os visuais fantásticos, a banda sonora e muito possívelmente o meu gameplay favorito de 2018, com um ritmo rapidíssimo cheio de combos a animações incrivelmente bem detalhadas tornaram o Dead Cells num dos meus jogos favoritos do ano passado.


Marvel’s Spider-Man

Miguel Teixeira: Era dos meus jogos mais esperados para 2018, visto que sou um grande fã do Aranhiço e da Insomniac Games. E o Marvel’s Spider-Man mostrou-se capaz de alcançar todas as minhas expectativas (podem ler a minha análise aqui), não só nos oferece a melhor jogabilidade no fato (ou fatos, neste caso) de Parker até hoje com uns visuais tremendos, como também conta uma narrativa sólida e emocionante sobre o personagem.


The Banner Saga III

César Rodrigues: Apesar de Banner Saga III não conseguir aprimorar os defeitos que marcaram os seus antecessores (combate, voice acting e narrativa), nenhum dos seus elementos é menos que bom. Seja pelo cativante mundo inspirado em lendas escandinavas envolvido em onerosas e lúgubres jornadas, que aborda temas como classismo, racismo, discriminação, ou pelo sólido combate strategy turn-based que, apesar da sua simplicidade mostra complexidade na execução, é difícil não apreciar esta trilogia e a forma como se desenvolve e conclui. Banner Saga III não aparece nesta lista como um jogo isolado, mas como uma trilogia completa.


Red Dead Redemption II

Miguel Teixeira: Só pude meter as minhas mãos no RDR2 no Natal, e joguei-o quase diariamente até ao capítulo final. Red Dead Redemption 2 é mais uma prova que a Rockstar tem mãos de ouro, tendo criado não só a sua melhor narrativa até à data, como um dos melhores mundos abertos de sempre e um grupo de personagens memoráveis. God of War já era difícil de bater como o meu jogo do ano, mas por uma minúscula diferença, RDR2 consegue ultrapassá-lo e irá certamente servir de cabeçalho para muitas listas de melhores jogos desta geração.

Gonçalo Nolasco: Foram quase dez anos de espera, mas valeram a pena (foi este jogo que me levou a comprar a PS4). Com RDR2 a Rockstar afasta-se do registo paródico dos GTAs, semi presente em RDR, criando uma das melhores histórias desta geração. Apesar de haver fraquezas na jogabilidade, a narrativa eleva o jogo a um novo padrão sendo para mim o melhor jogo de 2018.


Subnautica

Gonçalo Nolasco: Confesso que não sou o maior fã de survival, não entrei na onda recente de títulos do género que permearam a Steam. Porém, com o Subnautica, foi amor à primeira vista. Não se limita à sobrevivência, oferecendo uma narrativa que promove uma finalidade. A combinação da natureza, a estética, o worldbuilding, o sci-fi, tornaram este jogo um dos essenciais de 2018.


Super Smash Bros. Ultimate

Miguel Teixeira: Não há muito que possa dizer sobre o maior crossover de videojogos na indústria que não tenha já sido dito. Smash Ultimate é imensamente divertido, caótico e frustrante. É um jogo indicado tanto para fãs casuais da Nintendo como os jogadores mais competitivos, e quando derem por isso, terão uma centena de horas depositadas no jogo e com vontade de depositar mais outra.


God of War

Miguel Teixeira: Eu fazia parte daquele grupo de jogadores que estava saturado com o estilo hack n’ slash antigo de God of War. A trilogia deu tudo o que tinha a dar, e o Ascension foi um entrada a mais e desnecessária na série. O jogo de 2018 foi exactamente o passo que a Santa Monica devia dar para reviver o espartano mais zangado de sempre. A nova face de Kratos, a vulnerabilidade de ter um filho e o tom muito mais maturo deste novo jogo tornam o antigo deus da guerra uma personagem muito mais complexa, interessante e apreciável, tornando a narrativa bem mais pessoal e memorável. Junta-se isto ao espectacular novo sistema de combate e temos o vencedor (e bem merecido) do prémio Game of the Year nos The Game Awards. Espero apenas que a sequela se mostre ainda mais épica.

Gonçalo Nolasco: À partida estava muito céptico em relação a este jogo. Via-o como uma derivação da trilogia original com um grande foco na história (que para mim nunca foi a finalidade de God of War). Porém, após ter jogado, não posso deixar de concordar que este é um dos melhores jogos desta geração. Kratos tem finalmente uma personalidade e o combate (especialmente o machado) é um dos mais satisfatórios que tive o prazer de jogar num jogo de acção.

César Rodrigues: Inicialmente, o anúncio deste “reboot” ou “reimagine” – e até os primeiros leaks – causaram-me desconforto. Achava ridículo continuarem a jornada de Kratos, quando esta já estava mais que estagnada. Porém, o primeiro trailer, mostrou que era possível construir uma personagem autêntica em Kratos numa narrativa séria e matura, e, quando o jogo finalmente chegou, a par de uma jornada épica e pessoal estava um combate visceral mais próximo do género ARPG que alterava o cerne da jogabilidade que definiu o God de War. O jogo revelou-se como tremendo na maior parte dos seus elementos.


Quais foram os vossos jogos favoritos em 2018?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s